A Pesquisa do Autoengano


Sexta, 14 de setembro de 2012

Carro da Campanha de Isaías em 2008, Preso por Pesquisa Falsa

Por Alexandre Pinheiro 

Ao comentar a mais nova pesquisa do grupo Isaías Belezinha especulei, com base em comentários que a suposta pesquisa viria indicando – pasmem! – 21 pontos percentuais em favor da candidata do grupo. Falei destes 21 pontos achando que eles não teriam coragem de chegar a tanto.  Qual não foi minha surpresa quando a pesquisa que teria efetuado 330 entrevistas concluiu que a diferença giraria em torno de 26%.


Relutei em acreditar que o fariam porque nem mesmo o mais otimista seguidor do ex-prefeito Isaías confia nestes números. Além da obviedade de não render os frutos naturais de uma notícia acreditável, tais números turbinados só podem levar ao autoengano coletivo e ao perigosíssimo já ganhou. 

Se por um lado persistem dúvidas como quem contratou tal pesquisa, locais de entrevistas e estranhamente a soma não fecha os 100%,  por outro ângulo a suspeita vantagem desafia a história de eleições apertadas que sempre marcou os embates políticos locais. Da década de 80 pra cá nunca houve diferença maior de 5%, no último pleito entre Isaías líder máximo e Danúbia a diferença foi 1,19 ponto. Lembrem-se ainda que mesmo diante da disputa acirradíssima que foi a de 2008 em seus momentos finais, Isaías usou do mesmo expediente, afirmando que tinha 53% quando a verdade era o empate técnico, pois a diferença foi 417 votos. Veja foto com carro de campanha de Isaías apreendido por divulgar pesquisa falsa e o detalhe dos 53%, abaixo. 

Embora dezembro nem esteja tão longe assim, (e a primeira pesquisa ia até a data de 27 daquele mesmo mês!!!) quem quiser acreditar em Papai Noel que assine em baixo deste disparate e não reclame depois. Eu ainda aposto em diferença mínima, tanto para um lado quanto para o outro.  

Detalhe dos 53% que Diziam, Contra  41% Apurado nas Urnas