Fim da boataria: Mix Mateus vem para Chapadinha em 2014; quem garante é o próprio dono do Grupo Mateus em reunião com Belezinha

A mais nova e desastrosa tentativa de jogar o povo contra a prefeita de Chapadinha, Ducilene Belezinha, saiu totalmente ao contrário do que planejavam os meios de comunicação financiados pela Sofia Comunicação. Dessa vez, espalharam que Belezinha estaria querendo inviabilizar a vinda do Grupo Mateus para Chapadinha, pois segundo seus ferrenhos opositores queria desapropriar um terreno de propriedade do vereador e do grupo Matheus com a desculpa esfarrapada de que seria para construção de uma rodoviária, fantasiosa diga-se de passagem, pois se não tem dinheiro para comprar uma ambulância para o município imagine para construir uma rodoviária”. É importante lembrar, que a prefeitura deve desapropriar (indenizar) somente o terreno de propriedade, do vereador, e que o outro terreno é só do Mateus, pois não há sociedade entre ambos na posse do terreno.


A falta de informação fez até o blogueiro que escreveu o texto destacado acima cometer uma gafe sem tamanho, ao falar de “rodoviária fantasiosa”, já que não haveria dinheiro para tal. A rodoviária, para quem não lembra é uma das promessas de campanha de Belezinha e sua construção se dará graças a seu esforço e à afinidade da prefeita com o deputado federal Cléber Verde – PRB, que destinou emenda no valor de R$ 900 Mil, para a obra.


E, para desmascarar a falácia dos opositores, Belezinha, acompanhada dos secretários Aluízio Santos (Infraestrutura) e Alan Monteles (Indústria e Comércio), foi a São Luis, onde se reuniu com o próprio dono do Grupo Mateus, Ilson Mateus, por cerca de uma hora e discutiram vários assuntos, entre eles, a instalação de uma unidade do Mix Mateus (atacado e varejo), provavelmente a partir do segundo semestre de 2014.

Será um investimento da ordem de R$ 20 Milhões, que vai gerar centenas de empregos diretos e atrairá divisas para o município, uma vez que, como ocorre em outras cidades-pólo, clientes de outras cidades virão a Chapadinha e farão mais despesas em outros tipos de estabelecimentos.


“A gente pretende, com este empreendimento, atrair todos os pequenos comerciantes para Chapadinha. Será uma loja completa, um ‘atacarejo’, com atacado, varejo, eletro, boa lanchonete, enfim, com um mix de produtos que temos em nossas lojas de mix em São Luis”, enfatizou o empresário.

"Escolhemos Chapadinha por ser uma cidade pólo, abastecedora, com economia pujante e por ser uma cidade onde a agricultura está iniciando e trás benefícios para todos" concluiu.

Encontro proveitoso

Sobre o encontro com a prefeita de Chapadinha, Ilson disse: “foi muito proveitoso, estamos aqui firmando com a nossa prefeita um compromisso de trabalharmos em parceria e, no que pudermos, iremos ajudar o município. Quero ir mais vezes a Chapadinha, uma vez que já estreitamos essa conversa. Daqui pra frente tudo vai ficar muito mais fácil”.

O empresário ficou satisfeito ao saber que a rodoviária será construída ao lado do supermercado. “Isso é ótimo, pois as pessoas que virão de fora para comprar no Mateus e não têm transporte próprio, terão muito mais comodidade. É só descer do ônibus, fazer as compras e pegar outro ônibus de volta”.

Belezinha disse que jamais tentaria inviabilizar a vinda de um investimento tão importante para a cidade. “Chapadinha está de braços a abertos para grandes empreendimentos como o Mateus e outros que queiram vir. Jamais eu faria algo para atrapalhar. Estamos, inclusive, tentando antecipar a construção, mas como ele falou, só vai iniciar eno segundo semestre de 2014, torcemos apara que o de Chapadinha seja um dos primeiros”.

Sobre o terreno que será desapropriado, Belezinha falou que não tem nada a ver com o do Mateus, mas do vereador Eduardo Sá e que não se trata de perseguição pessoal. “A área a ser desapropriada fica ao lado da do Mateus. Não é perseguição, mas uma necessidade. Já havíamos feito estudo e ouvimos várias sugestões para outras áreas, como a Praça do Campo Velho e uma área na BR, ao lado da Cerâmica Barreto (Vila Isamara), mas este último não foi bem aceito, pela localização, que poderia fomentar a marginalidade, por ser situada em região pouco movimentada. O terreno ao lado do Mateus foi escolhido por ter boa localização e por ser o único bem localizado e com espaço suficiente para a construção da rodoviária”. Esclareceu a prefeita.

Belezinha lembrou que a cidade está com poucas áreas disponíveis para construção de obras públicas e que, só em seu governo já foram adquiridas áreas - para a UPA, para o hospital regional, para um CRAS, para o Centro de Eventos, para o Centro de Hemodiálise, para o CREAS, para Cozinha Comunitária e para Academias - que foram comprados pelo município, além de dois terrenos que foram doados pela própria prefeita (pessoa física) para a construção do CETECMA e para o IFMA.

“Se eu já doei terrenos, justamente porque quero ver o desenvolvimento do nosso município, como vão espalhar boatos por aí, dizendo que eu não quero a vinda do Mateus e da Suzano? Isso sim, é perseguição!”, disse a prefeita, chateada com a ‘fábrica’ de boatos que se estabeleceu em Chapadinha.

Atenção! Comentários abusivos e desrespeitosos serão deletados. Nem tente.
EmoticonEmoticon