quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Deputado catarinense menospreza Maranhão e sugere criação de outro País

 
Deputado Federal Valdir Collato (PMDB-SC)
Deputado Federal Valdir Collato (PMDB-SC)
O deputado federal Valdir Collato (PMDB-SC) defendeu, em seu perfil no facebook, a criação de uma nova nação a partir dos estados que compõem a Região Sul do país.
Na “proposta” de criação de um novo país, ele faz uma comparação pejorativa do estado de Santa Catarina com o Maranhão, ao apresentar dados a respeito do contingente populacional, arrecadação de impostos e lucros ou prejuízos obtidos por cada um dos estados por meio do retorno destas arrecadações.
A defesa de Colatto em rede social acabou desencadeando uma série de manifestações preconceituosas com o Maranhão e o povo maranhense já possui mais de 11.860 mil compartilhamentos somente no facebook.
COLATTO DEFENDE "O SUL É MEU PAÍS" E DESENCADEIA SURTO PSICÓTICO
 “Ao invés de cumprir o seu papel de deputado federal que é legislar, criar leis que tenham por objetivo reduzir a desigualdade social no país, ele propõe a separação do país e desrespeita o Maranhão. Foi uma postura insensata, inaceitável e digna de repúdio desta Casa e de toda a população”, afirmou Edilázio Júnior.
Além de pedir o apoio dos colegas, Edilázio mostrou que o parlamentar de Santa Catarina cometeu crimes contra a existência da União ao propor ou sugerir a separação do país.
“Como representantes do nosso estado, temos por dever repudiar esse tipo de postura. Vou protocolar ainda hoje a moção de repúdio e espero que essa não seja uma atitude isolada minha, mas que este requerimento seja subscrito por todos os 42 deputados desta Casa”, finalizou.
A OAB-MA também repudiou a manifestação eugênica postada pelo deputado federal em rede social, em que lança movimento separatista da Região Sul do Brasil, ao passo que usa o Estado do Maranhão como um dos argumentos para o seu devaneio inconstitucional. Sugere levianamente ser o Maranhão um ente federado dependente e desimportante.
Os advogados do Maranhão receberam com desagradável surpresa tal tratamento de menoscabo por parte do referido parlamentar do fraterno Estado de Santa Catariana, que utiliza esta Unidade Federativa como referência do que deve ser afastado de uma federação da qual integra. Desconhecer a história do Brasil e a importância do Maranhão nesse processo é injustificável para quem exerce uma função pública tão relevante. No caso, o desrespeito ultrapassou os limites da liberdade de expressão, na medida em que tipificado no art. 11 da Lei 7.170/83 (‘Tentar desmembrar parte do território nacional para constituir país independente. Pena: reclusão, de 4 a 12 anos’), bem assim no art. 1º da Lei 7719/89 (‘Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional’).
Compartilhe via: