sábado, 26 de setembro de 2015

Chapadinha sedia Seminário de Sensibilização do projeto ABC Cerrado, com presença de quase 30 municípios

A prefeita Ducilene Belezinha, acompanhada dos secretários Aluísio Santos (infraestrutura) e Antonio José (Agricultura) fez a abertura do evento, dando as boas-vindas aos convidados.

Por CN1/Luiz Carlos Jr.

Sábado, 26 de setembro de 2015
O sistema Faema/Senar, em parceria com a Prefeitura de Chapadinha, promoveu neste sábado, (26), no auditório da Faculdade do Baixo Parnaíba, o  Seminário de Sensibilização do projeto ABC Cerrado.

O auditório ficou lotado de produtores rurais, técnicos e gestores de instituições relacionadas ao agronegócio, além de estudantes, professores e profissionais da região e de outros municípios do estado.

A prefeita Ducilene Belezinha, acompanhada dos secretários Aluísio Santos (infraestrutura) e Antonio José (Agricultura) fez a abertura do evento, dando as boas-vindas aos convidados.



A reunião foi  uma iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, (Senar Regional e Central), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, (Embrapa), do Ministério da Agricultura e Pesca, (Mapa) e prefeitura de Chapadinha, e conta com o apoio do Governo do Estado por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, (Sagrima), da Secretaria de Agricultura Familiar, (Saf) e da Secretaria de Meio Ambiente, (Sema).


O seminário teve a  participação como palestrante, o coordenador do Programa ABC do Senar Central, (Brasília), Mateus Tavares, os pesquisadores da Embrapa, Joaquim Bezerra Costa e José Mário Ferro Frazão, e do Mapa, Jorge Luis Nascimento e Álvaro Cardoso. Na programação constam ainda as participações do superintendente do Senar-MA, Luiz Figueiredo, do coordenador do Grupo Gestor do Plano ABC, Luiz Coelho e do consultor da Faema, César Viana.


O projeto ABC Cerrado dissemina práticas de agricultura de baixa emissão de carbono e sensibiliza o produtor para que ele invista na sua propriedade de forma a ter retorno econômico, preservando o meio ambiente. É resultado de parceria com o Ministério da Agricultura e a Embrapa, com recursos do Programa de Investimento em Florestas (FIP), administrados pelo Banco Mundial. O programa é desenvolvido em oito, (8), estados do Bioma Cerrado, dentre eles, o Maranhão.
Compartilhe via: