quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Sensação: Após imobilizar assaltante, lutadora de Açailândia vira destaque na imprensa nacional

Deu no Globoesporte.com

Monique Bastos Imobilização Ladrão (Foto: Reprodução/Facebook)
Monique Bastos treina MMA desde a adolescência e quer ter oportunidade no UFC no futuro (Foto: Reprodução/Facebook)


Sensação após imobilizar assaltante, lutadora sonha com futuro no UFC


Monique Bastos afirma que treinamentos de jiu-jítsu desde a infância ajudaram a tomar decisão no momento delicado e mira vaga no Ultimate: "Sonho de todo atleta"


Imobilização Monique Bastos Ladrão (Foto: Reprodução/YouTube)Após ter celular roubado, Monique imobilizou o ladrão com um triângulo (Foto: Reprodução/YouTube)
Com a violência cada vez mais inserida no cotidiano das cidades brasileiras, uma orientação aparece com mais frequência: não se deve reagir a um assalto. Contudo, uma maranhense não só tomou uma atitude em uma situação delicada, como virou sensação na internet. Monique Bastos teve o celular roubado nesta terça-feira, mas conseguiu imobilizar um dos assaltantes com um triângulo digno de "bônus da noite". 
A jovem de 23 anos, natural de Açailândia, no Maranhão, treina jiu-jítsu na Granola Bronx Gold Team, afiliada da Bronx Gold Team, de Charles do Bronx. Apaixonada pelo MMA, começou a se dedicar há aproximadamente sete anos. A confiança adquirida nos treinamentos fez com que a lutadora percebesse o momento ideal para derrubar um dos homens e aplicar um mata-leão, seguido de um triângulo.
- Estávamos indo treinar, eu e duas amigas, quase perto da academia. Eu estava com celular da minha prima na mão, dois rapazes vieram encostando. Um deles puxou o celular, tentei pegar de volta e não consegui. Iam arrancar a moto, mas eu suspendi a traseira e derrubei os dois. Antes de fazer isso tudo eu vi que eles não estavam armados, por isso deu tempo. O que roubou o celular conseguiu correr e o que estava pilotando ficou desconcertado. Eu dei um mata-leão nele, tirei ele do meio da rua, coloquei na calçada, deitei e apliquei o triângulo. Fui me defender. Vi que no momento dava para reagir porque ele não tinha nada em mãos, e deu um bom resultado. Ele ficou quietinho lá, tentou sair algumas vezes, machucou minha perna, e eu falei que se me machucasse de novo eu iria apagar ele. Aí ele ficou desesperado, gritando mãe, pai, Jesus. Todos queriam fazer algo com ele, eu não deixei. Poderia até ter deixado, mas não achei que era o certo - disse Monique em entrevista por telefone ao Combate.com.
Após imobilizar o assaltante por cerca de 15 minutos, Monique aguardou a chegada da polícia, mas não teve o celular devolvido. A boa notícia é que o homem que conseguiu escapar da lutadora já foi identificado. 
Monique Bastos Imobilização Ladrão (Foto: Reprodução/Facebook)
O caso teve grande repercussão nacional e o telefone de Monique não parou na manhã desta quarta-feira. Tímida, mas bem-humorada, a lutadora destacou que o sonho é chegar ao UFC e se juntar a nomes como Ronda Rousey, Claudinha Gadelha e Amanda Nunes, ícones femininos da organização. Como profissional foram poucas lutas - Monique não soube precisar o número exato -, mas a confiança de um caminho vitorioso dentro do esporte é grande.
- Muita gente ligou, mandou mensagem no Face, no Instagram, de todos os modos. Várias TVs ligaram, não sei muito bem como lidar com isso, até porque sou muito tímida. Mas estou me saindo bem, estou tranquila (risos). Eu só me defendi, né? Não tenho muito o que falar. Minha paixão é o MMA, quero seguir nessa profissão. Se eu não estou enganada é isso mesmo. Ttenho algumas lutas, vitórias, derrotas. Mas quero chegar lá sem desistir. É o sonho de todo atleta, chegar no UFC. Sou lutadora e quero chegar lá, sim.
*Igor Rodrigues, estagiário sob supervisão de Marcelo Russio
Compartilhe via: