quinta-feira, 8 de outubro de 2015

CPI da Saúde é desmoralizada por Ricardo Murad

Antes de entrar no assunto em questão, antecipo que não se trata de nenhum tipo de bajulação ao translouco ex-secretário de saúde Ricardo Murad(PMDB), o foco é mostrar o quanto a maioria dos atuais deputados estaduais maranhenses têm o “rabo preso” e são refém de seus atos furtivos nos anos anteriores. (Domingos Costa - Blogueiro)

Deputados titubearam de medo dos trabalhos da CPI, principalmente, o momento mais temido: Enfrentar cara a cara o ex-secretário Ricardo Murad.

Protocolada a pedidos dos deputados Rafael Leitoa (PDT) e Fernando Furtado (PCdoB) no dia 08 de julho, o Requerimento de criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar fraude na Secretaria de Estado da Saúde, contou com 29 assinaturas. A leitura da abertura foi realizado pela presidente interina, Francisca Primo (PT) que comandou a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, na sessão do dia 15 de julho.

Um mês após o retorno do recesso parlamentar, já em agosto, foram definidos os nomes para compor a CPI, de acordo com a proporcionalidade das bancadas, ficando assim: Rafael Leitoa (PDT); Fernando Furtado (PC do B); Marco Aurélio (PC do B); Levi Pontes (PSD); Josimar de Maranhãozinho (PR); Rogério Cafeteira (PSC) e Roberto Costa (PMDB).

No dia 12 de agosto começaram “os trabalhos” da Comissão que ainda investiga supostas fraudes no Programa “Saúde é Vida” dos anos de 2009 a 2014 referente a gestão do ex-secretário Ricardo Murad, durante o governo Roseana Sarney(PMDB).

No entanto, desde então, a CPI da Saúde caminha a passos de tartaruga, melhor, na velocidade de uma lesma. Até agora apenas uma reunião após a escolha de seus membros e uma visita juntamente com a Comissão de Saúde – sem nenhuma importância – à construção de um hospital onde as obras nunca foram iniciadas.

Em recente conversa com o presidente da CPI, o deputado Levi Pontes(SSD), mostrando pouco entusiasmo, o parlamentar explicou que “a criação da Comissão foi em momento inoportuno, pois todos as investigações já estão em curso sendo realizadas por outros órgãos competentes como secretaria da transparência e Ministério Publico, portanto, a função da apuração é exatamente essa: enviar o resultado para os devidas fins”, afirmou o parlamentar.

Assembleia desmoraliza

A verdade é que a CPI morreu dentro do útero (natimorto), a Assembleia Legislativa zomba dos maranhenses quando gasta dinheiro público com algo inútil, como no deslocamento de deputados para visitarem o hospital no município de Rosário.

Única reunião da CPI.
A população fica assistindo as mais esfarrapadas desculpas possíveis, enquanto a Comissão Parlamentar de Inquérito foi nitidamente solapada.

Nos bastidores comenta-se que depois de criada a tal “CPI-paralítica”, um grupo de deputados temendo cair nas suas próprias teias, mudaram de ideia, se arrependeram e decidiram abafar o caso. E não mais apurar irregularidades na aplicação de recursos públicos na área da Saúde, no período comandado por Murad.

Aflitos, os parlamentares titubearam de medo dos desdobramentos dos trabalhos da Comissão, e principalmente, o momento mais temido: Enfrentar cara a cara o ex-secretário Ricardo Murad.

O grupo de rabo preso – que certamente compartilharam das ações embusteiras de Murad na SES, agiram nos bastidores e aniquilaram a CPI antes mesmo dos inicio das atividades. Deixando assim, mostrar o medo de Ricardo Murad que sozinho desmoraliza Assembleia.

Francamente!

(Blog do Domingos Costa)
Compartilhe via: