quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Atleta de Coelho Neto/MA vai enfrentar o Barcelona na semifinal do Mundial de Clubes:"Jogo da minha vida"

Por Yokohama, Japão

Barcelona e Guanzhou se enfrentam nesta quinta-feira, às 8h30 (de Brasília), nas semifinais do Mundial de Clubes. O GloboEsporte.com acompanha o jogo em Tempo Real, e o SporTV transmite ao vivo
 
O sucesso do Guangzhou Evergrande nos últimos anos caminha lado a lado com a trajetória de Elkeson no futebol chinês. Contratado em 2013, o atacante se tornou peça fundamental e ídolo do clube, virando o maior artilheiro da história da equipe, com 79 gols, um a mais que o compatriota Muriqui. O tento que o isolou na posição ocorreu na ocasião mais importante da atual temporada: o jogo de volta da final da Liga dos Campeões da Ásia, contra o Al Ahli, vencido por 1 a 0. Mais importante até agora... Nesta quinta-feira, em Yokohama, o Guangzhou pega o Barcelona nas semifinais do Mundial de Clubes, em partida que o ex-botafoguense considera não só o auge do ano, mas de sua carreira.
- É o jogo mais importante da minha carreira, com certeza. Espero fazer um grande jogo, assim como minha equipe. Será especial para todos. O futebol chinês vem crescendo muito nesses três  que estou no país. E fazer parte e contribuir de alguma maneira, para mim é maravilhoso - resumiu o atacante, que disputa seu segundo Mundial.
Elkeson Guangzou Evergrande Mundial (Foto: Jorge Natan)Elkeson disputa seu segundo Mundial de Clubes
(Foto: Jorge Natan)
A Liga dos Campeões foi o quinto título de peso conquistado por Elkeson na Ásia, em três temporadas. Com medalhas de três Campeonatos Chineses e de duas Champions, ele soma mais de 100 jogos com a camisa do Guangzhou, onde teve a oportunidade de trabalhar ao lado de Marcelo Lippi, campeão mundial em 2006,  e agora Luiz Felipe Scolari - com quem disse que sempre sonhou estar do mesmo lado
Na China, Elkeson se tornou mais versátil e passou a ser uma opção tanto para os lados do ataque quanto para a parte central da área. Dessa vez, porém, estará entre defensores de peso, como Piqué, Mascherano e Daniel Alves - motivos para que o brasileiro chame o Barcelona de equipe completa. Ou quase completa, uma vez que não terá Neymar, de quem diz ser admirador.
- Não é a toa que são os melhores do mundo. A gente tem que estar tranquilo, poder tentar aproveitar os erros que podem acontecer durante a partida e aproveitarem as oportunidades que surgirem.
Mas os torcedores que viram o Guangzhou ir para cima do América do México e criar muitas oportunidades nas quartas de final podem ter certeza que o cenário não se repetirá contra os campeões europeus. E, quando a bola chegar, será tarefa de Elkeson e de seus companheiros de ataque, tentar surpreender.

- Sabemos da dificuldade que vamos encontrar, então nossa expectativa é fazer uma grande apresentação. Temos que entrar em campo sempre pensando na vitória. Sabemos da qualidade e da força do Barcelona. Tudo pode acontecer no jogo, mas sempre respeitando e admirando tudo o que o Barcelona fez nos últimos anos. Temos que estar fechadinhos e tentar explorar os contra-ataques. Essa será com certeza nossa forma de jogar. 
Durante de uma temporada diferente, em que sofreu com duas lesões consecutivas na coxa direita, o brasuca ganhou companheiros de peso para a linha ofensiva. Chegaram no começo da temporada Ricardo Goulart e Alan, que depois contaram com o reforço de Robinho já durante o ano. Sem contar com o ex-jogador de Real Madrid e Milan durante a disputa da Champions, Elkeson comemora tê-lo em um momento importante, em que a vivência pode pesar.

- O Robinho adiciona muita experiência. Lembro quando o Robinho surgiu em 2002, eu estava chegando na base do Vitória; Para mim é um privilégio jogar ao lado dele. Acrescenta bastante, jogou em grandes equipes da Europa. Tem experiência e ali dentro de campo com certeza faz uma diferença enorme e nos ajuda bastante - encerrou.
Compartilhe via: