terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Oficinas do “Mais Cultura e Turismo” Cativam Crianças e Adolescentes em Chapadinha




Fabrício, Joyce, Francisco e Auriane viveram uma experiência inesquecível durante a passagem do projeto “Mais Cultura e Turismo” em Chapadinha. Cada um deles tem uma história de descoberta, típica da infância e adolescência, protagonizada nas oficinas oferecidas pelo projeto, ministradas durantes dois dias nas escolas da rede municipal de ensino da cidade.

Extremamente tímido, Fabrício Albuquerque, 15 anos, ficou com receio ao notar que o instrutor da oficina de Hip Hop e Grafitagem ministrada na escola Municipal Almada Lima foi avisado por outros colegas, sobre o talento dele para desenho. “Sempre me interessei por grafitagem, mas nunca tive contato com nada disto. Agora é que sei como ela é importante e qual a diferença entre grafitagem e pichação”.


O desenho de Fabrício, elogiado pelo instrutor da oficina foi escolhido para ser a ilustração da atividade realizada pelos alunos. Em uma sala próxima, Joyce Aguiar, 11 anos, chamou a atenção dos instrutores da oficina de teatro pela desenvoltura com que realizou as tarefas sugeridas durante a oficina. “Sempre me interessei por esta coisa de ser atriz, e foi muito bom receber esta oficina de teatro na nossa escola. Pude conhecer mais sobre uma área que gosto muito”, revelou a menina nascida em Minas Gerais, mas residente em Chapadinha desde os dois anos de idade e que teve, agora, a chance de vivenciar o primeiro contato com o teatro.

Crianças e adolescentes participaram de oficinas oferecidas pelo ‘Mais Cultura e Turismo’ em Chapadinha. (Foto: Divulgação)

Concentradas nos mais variados temas as oficinas do “Mais Cultura e Turismo” garantem este espaço de aprendizado para os meninos e meninas das cidades visitadas pelo projeto ajudando, não apenas a despertar talentos e incentivar vocações, como, também, a propiciar às crianças e adolescentes, público alvo destas oficias, mais conhecimento sobre manifestações culturais seculares.

Francisco de Assis, 11 anos, morador do bairro Corrente, na periferia de Chapadinha, conheceu os festejos do Divino Espírito Santo e o toque das caixas que fazem parte desta manifestação. Sem nunca ter tido a oportunidade semelhante, na oficina, ministrada por Caxeiras de Comunidade Quilombola de Santa Rosa dos Pretos, Francisco teve a chance de aprender muito mais sobre uma tradição. “Eu via as festas do Divino, mas não sabia da importância das caixas. Foi bom participar desta oficina por que eu sempre tive vontade de saber como é que aprender a tocar a caixa que anima o festejo”, revelou.


Na sala ao lado, na oficina de Dança Afro, Auriane Silva mostrou que aprendeu bem as lições ministradas pela instrutora e assimilou com perfeição os passos para dançar uma música do Bloco Afro Akomambu. “O que gostei destas oficinas aqui na escola foi que agora eu pude aprender sobre uma coisa que eu acho que tenho vocação pra fazer”, ressaltou.

Conforme acentuou o secretario de Estado da Cultura, Felipe Camarão, o “Mais Cultura e Turismo” é um programa do governo Flávio Dino “que vai muito além da realização de eventos culturais nas cidades que visitadas, mas, também, que inclui ações de caráter estruturante cujo objetivo maior é construir, através da cultura, pontes para o acesso ao exercício pleno da cidadania, além de cultivar nas novas gerações o senso de compromisso com a preservação das tradições culturais”.

Compartilhe via: