terça-feira, 1 de dezembro de 2015

SAÚDE DA MULHER - Veja cinco irregularidades na menstruação que podem indicar problemas

hsf
Publicidade
Quando uma mulher convive há anos com a menstruação, ela já sabe como funcionam seus ciclos. Por isso, qualquer irregularidade deve ser motivo de preocupação. Isso porque variações no padrão do ciclo podem ser importantes indicativos de problemas de saúde, principalmente do aparelho reprodutivo. 

Influenciado por hormônios, é normal que o ciclo menstrual sofra diversas alterações ao longo do tempo. No entanto, mudanças bruscas podem indicar que alguma coisa está errada. A orientação é: procure seu ginecologista sempre que desconfiar que algo não está de acordo com o habitual. O site Diário de Biologia listou cinco anormalidades na menstruação que podem indicar doenças. Confira: 

1. Menstruação prolongada 

Um fluxo menstrual normal não deve ultrapassar oito dias ao todo. Mais que isso, já pode ser considerado como hipermenorreia ou menorragia. As causas podem ser coagulação sanguínea anormal, desregulação hormonal do ciclo menstrual, ou desordens do revestimento endometrial do útero. Além das complicações sociais de ter que lidar com menstruação longa e intensa, com o tempo a perda de sangue pode ser maior que as reservas de ferro do organismo e taxa de reposição de sangue, ocasionando anemia. 

2. Corrimento marrom 

Se ao final da menstruação um corrimento marrom persistir por muitos dias (pelo menos uma semana) pode indicar a presença de infecções vaginais, como candidíase ou tricomoníase, que surgem especialmente quando o pH vaginal está alterado devido a frequentes duchas vaginais, por exemplo. 

3. Cheiro forte 

Os ginecologistas dizem que o odor característico da menstruação é o de sangue. Se estiver fora da característica comum e houver algum tipo de infecção, esse odor fica fétido, cheirando podre. É bom ficar de olho, pois o cheiro desagradável e intenso, ou diferente do normal na menstruação, pode ser indício de alguma infecção ou doença ginecológica. 

4. Cólicas fortíssimas 

Quando a dor menstrual é muito forte, é preciso ficar atenta à possibilidade de dismenorreia secundária. Ao contrário da primária, que é a cólica comum, a dismenorreia secundária é causada não somente pelo processo natural de eliminação do endométrio. Neste caso, há uma doença orgânica associada, que faz a cólica se agravar. Se as cólicas chegam a ser tão intensas e persistentes a ponto de atrapalhar o seu dia a dia e você sente um aumento progressivo no incômodo a cada mês, pode ser sinal de endometriose. 

5. Alteração no ciclo menstrual 

Normalmente, a menstruação da mulher ocorre a cada 24 a 35 dias, apenas 15% das mulheres tem o ciclo típico de 28 dias certinho. Se houver falta de menstruação, pode ser o primeiro sintoma de doenças como endometriose, hipotireoidismo, síndrome dos ovários policísticos, alterações na glândula suprarrenal, tumor na hipófise ou até mesmo estresse. Se houver excesso, as causas podem ser hipertireoidismo, feridas no colo do útero, câncer ou miomas. Até mesmo a obesidade é um fator que pode interferir no ciclo menstrual, por isso, em caso de alteração repentina no ciclo menstrual, é fundamental procurar um médico para investigar a causa. (Fonte: Diário de Biologia) 
Compartilhe via: