terça-feira, 24 de maio de 2016

Família contesta versão da polícia para morte de jovem


Wiris Clemente Parente Ribeiro e seu corpo ao lado do Celta branco
Wiris Clemente Parente Ribeiro e seu corpo ao lado do Celta branco (Foto: Leitor Whatsapp)

A família de Wiris Clemente Parente Ribeiro, 18 anos, está contestando a versão da polícia para a morte do rapaz, no sábado (21), no Maracanã. Segundo a polícia, Wiris Clemente morreu após troca de tiros, quando o carro em que ele estava, um Celta branco com outros três ocupantes, não parou após ordem policial. A perseguição teria começado após a polícia ter recebido informações de suspeitos em um Celta branco, que iriam atacar um ônibus. No entanto, a família de Wiris Clemente Parente Ribeiro afirma que não houve troca de tiros e que o rapaz não era envolvido com criminalidade.
De acordo com Luís Clemente, pai de Wiris, ele era um jovem de bem, que iria começar a trabalhar hoje. "Meu filho não era bandido, ele terminou os estudos, fazia curso de técnico em segurança, no Senai. Ele não tinha passagem pela polícia. Ia começar a trabalhar hoje. Seria o primeiro emprego dele", afirmou o pai do jovem, em entrevista à Rádio Mirante AM. "Meu filho não é bandido. Nós moramos aqui há mais de 20 anos. Todo mundo conhece a gente, todo mundo conhecia meu filho", reiterou a mãe do rapaz, que morava na Vila Nova República.


Ainda segundo a família, o jovem e mais três amigos estavam indo para uma festa e havia bebidas no carro. Eles teriam percebido um carro comum perseguindo-os e teriam achado que se tratava de bandidos, por isso não pararam. No entanto a polícia diz que tinha recebido informações de que seis a oito bandidos, em um Celta branco, iriam atacar um ônibus no Maracanã.
O caso já havia sido denunciado no Facebook no perfil de Jane Machado, que entrou em contato com o O Estadoma.com, após a publicação da notícia sobre o fato. Segundo informações repassadas pelo tenente-coronel Marques Neto, comandante do Batalhão Tiradentes, uma tentativa de ataque teria sido frustrada pela polícia. Na ocasião, ao falar com a reportagem, o tenente informou que a polícia tinha conseguido impedir um ataque a ônibus no Maracanã e que, após troca de tiros, um "bandido" teria morrido.
Revoltados com a morte de Wiris Clemente Parente Ribeiro, moradores do Maracanã prometem fazer um protesto na localidade, por volta das 15h30. O velório do jovem está ocorrendo na Travessa São José e o enterro será hoje.
Compartilhe via: