quarta-feira, 4 de maio de 2016

Homicídio no Bairro Novo - Viúva diz que assassino é menor de idade e era amigo do seu esposo

Era pouco mais de 20h de segunda-feira, 2 de maio, quando começou a ventar forte e a chover em Chapadinha. Neste momento, dois motoqueiros aproximam-se de uma casa, na Rua Manoel Inácio de Almeida, Bairro N
ovo.

Um deles fica na moto, sob a chuva e o outro bate na porta e chama pelo dono da casa, Ivaldo Alves de Lima, mais conhecido como “Peixeiro”, de 47 anos.

“A gente estava aqui na sala, assistindo TV. Estávamos eu, Ivaldo e minha filha, de 12 anos. Minha filha mais velha estava lá pra dentro. Bateram na porta. Eu abri. Era o “M*”, que mora na Vila Isamara, acostumado a vir aqui conversar com meu marido. Minha filha saiu da cadeira, que estava perto da porta e ofereceu para ele sentar. Ele não quis e disse para o meu marido: ‘olha aqui peixeiro, o bruto que eu trouxe pra te mostrar! ’. Quando Ivaldo levantou, pra ver o que era, o rapaz foi logo atirando. Vi quando ele fechou os olhos e atirou várias vezes. Minha filha, que tinha oferecido a cadeira para o criminoso, estava sentada em outra cadeira, atrás de Ivaldo e foi atingida, no braço direito. Foi uma cena horrível”, relatou a viúva, ao Blog do William Fernandes.

A mulher disse ainda, que o marido havia se envolvido em uma confusão em dezembro do ano passado, quando foi furado em um evento, no próprio Bairro Novo. “A partir daí, sempre vinha rolando conversas de que queriam pegar o “Peixeiro”. Eu conversava com ele sobre o assunto, mas ele dizia que essa história não tinha nada a ver. Ele sempre achava que ninguém faria isso”.

A viúva disse também, que os filhos estão sofrendo muito, principalmente as duas que presenciaram a morte do pai. “A mais nova chora o dia todo. De vez em quando ela desmaia”, disse. “Só quero paz na minha vida e na vida de meus filhos. Quero que seja feita justiça”, concluiu.
__________________________________________________

*Preservamos o nome da pessoa, por tratar-se de um menor.
Compartilhe via: