terça-feira, 20 de setembro de 2016

O desespero e a desorganização da campanha de Magno Bacelar

Material de campanha e um 'mega' comitê do candidato
Material de campanha e um ‘mega’ comitê do candidato
A primeira prestação de contas da campanha eleitoral do candidato a prefeito de Chapadinha, Magno Bacelar, revelou-se uma grande patacoada.
Acontece que o Art. 41 da Resolução-TSE nº 23.463/2015 deixa clara a obrigatoriedade da prestação de contas dos recursos arrecadados e dos gastos de campanha. Mesmo sabendo da obrigação legal de fazê-la, a equipe ligada ao então candidato apresentou uma declaração totalmente omissa (para não dizer falsa) à Justiça Eleitoral.
Acreditem! A incompetência para fazer uma simples declaração do que recebeu e o que gastou foi tão grande que acharam melhor informar que não receberam e nem gastaram nada nos primeiros 15 dias de campanha. ISSO MESMO….. NÃO GASTARAM NADA.
Aí o caro leitor se pergunta: “como assim? e os vários rojões estourados em frente à casa da prefeita Ducilene Belezinha? E aquelas bandeiras? E os cartazes, adesivos, santinhos? E os comícios e músicas usadas? E o comitê de campanha?
No final, esta patacoada certamente será rejeitada pela Justiça Eleitoral e só serviu para uma coisa: deixar claro ao eleitor que, mesmo depois de tantos anos na administração pública, não aprenderam a administrar nem uma corrida eleitoral, o que dirá um município inteiro.
Compartilhe via: