O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, programou para esta terça-feira (04) o início do julgamento das ações contra os candidatos eleitos e que têm reclamações na Justiça.
Neste domingo (02), Mendes fez um balanço positivo da disputa eleitoral e explicou que a violência não ocorreu nas urnas e que faz parte de uma realidade brasileira.
Apesar do gasto público com a eleição ter aumentado e ficado em R$ 650 milhões - o que dá quase R$ 5 por eleitor, o gasto declarado por candidatos caiu.
A campanha foi mais barata e custou, oficialmente, aos candidatos R$ 2,1 bilhões. Há desconfiança de que houve "plantação de laranjas" e Gilmar Mendes garantiu que tudo será investigado.
O repórter José Maria Trindade destacou que a Receita Federal e o TSE trabalham no cruzamento de informações e que o CPF de cada doador de campanha será checado.
"O cruzamento de CPF já mostrou que desempregados, beneficiários do Bolsa Família, listas de funcionários de empresas", ressaltou.