.

.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

[BREJO] A Exposição de Artes: "Uma Viagem Pelos 500 Anos da Reforma Protestante".


Segunda, 18 de dezembro de 2017

Durante os dias 16 e 17 de dezembro, o Departamento de Escola Bíblica Dominical da Assembleia de Deus em Brejo realizou uma exposição de artes, na qual abordou-se a História da Igreja Cristã em ordem cronológica, relacionando-a com diversos acontecimentos que marcaram a história humana.

No trajeto histórico, como ponto de partida, destacou-se o ano 30 da era cristã, período no qual o mais ilustre personagem da história aparece no cenário mundial e realiza a escolha daqueles que seriam seus apóstolos
Mt. 4.19.



Seguidamente, no ano 33 da era cristã, na festa de
Pentecostes, comemorada pelos judeus 50 dias após a Páscoa judaica, que também coincide com os 50 dias após a Ressureição de Cristo, o Espírito Santo é derramado, cumprindo assim a promessa de Jesus aos seus discípulos, feita quando Este esteve com eles. At. 2.1-4

A festa do pentecoste naquele ano torna-se o marco zero da História da Igreja Cristã, quando se inicia a Era Apostólica da Igreja, período compreendido entre os anos 33 a 120 d.C., nesta fase a Igreja era liderada pelos Apóstolos escolhidos por Cristo, os quais foi-lhes incumbida a missão de normatizar os costumes distintivos que caracterizaram a Igreja ao longo da história, tais como: o Batismo, a Santa Ceia, as reuniões dominicais e as ênfases morais. At. 15. 28,29; 1 Co 8.6; 12.13; Fp 2.5-11; 1 Tm 2.4-6;






 Após o ano 120 d. C. inicia-se a Era Patrística, período compreendido entre os anos 120 a 309 d.C., nesta fase a Igreja passou a ser liderada por pessoas que conviveram e foram treinados pelos Apóstolos de Cristo.

Os Pais da Igreja foram os primeiros Teólogos da Igreja Cristã usados por Deus para dar respostas às diversas heresias que surgiram no decorrer dos anos.

Com o crescimento da Igreja e sua expansão por todo o território do Império Romano, a Igreja em seus primeiros séculos passou a ser vista como um risco para o Império, desta feita, os imperadores romanos a começar por Nero no ano 54 d.C. e ao fim do reinado de Diocleciano  em 305 d.C., autorizaram diversas expedições com poder para prender os líderes dos cristãos e até  matar comunidades inteiras de adeptos do cristianismo.


Com a expansão do cristianismo por todo o mundo, foi inevitável a influência do pensamento grego da concepção da razão e da cultura helenística, desde que a Igreja fora separada de sua terra natal e se espalhou pelo Império Romano. Foi neste contexto que Deus levantou os pais da Igreja para atuarem como apologistas do cristianismo nos primeiros séculos da Igreja.


No ano 312 d.C., o imperador Constantino converte-se ao cristianismo e o adota como Religião Oficial do Império Romano,  iniciando-se, assim, uma nova fase na história da Igreja.

Nesta fase a  Igreja tornou-se uma extensão do  Estado, a Igreja Imperial,  encerrando essa fase com a queda do Império Romano em 565 dC.

A vitória do Cristianismo na ascensão de Constantino trouxe benefícios e prejuízos para a Igreja e o Estado, já que, por um lado os cristãos receberam a liberdade de exercerem suas crenças, reconquistando sua cidadania, porém, houve uma rápida paganização  do cristianismo, tendo em vista que, não prevalecia o desejo genuíno de conhecer a Cristo, mas, as motivações nessa fase foram  em troca  dos benefícios  do Estado, pelo que grande parcela da cristandade tornara-se insatisfeita com as posições dos novos líderes da Igreja.

Com o fim do Império Romano, a Igreja Cristã de Roma conquistou o seu apogeu, foram longos 1000 anos até surgir o Reformador Martinho Lutero.

A Igreja  na Idade Média manteve o monopólio religioso, político e em todas as áreas do conhecimento, o que gerou incômodo nos diversos segmentos da sociedade.

Foram não poucas tentativas de reformar a Igreja, surgindo os Pré-Reformadores que, calados pela Igreja, foram levados à  fogueira da inquisição.

A Reforma Protestante de Martinho Lutero abriu a possibilidade para o mundo sair do obscurantismo e trilhar o caminho para a modernidade.

Outro fato importante ressaltado na exposição foi o movimento de reavivamento do protestantismo na figura de William Seymour, ocorrido na Rua Azuza, cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos da América no século XIX.
  
Foi no Avivamento da Rua Azuza que o missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren experimentaram a efusão no Espírito (batismo com o Espírito Santo).

Ao sentirem o chamado de Deus, os missionários Daniel Berg e Gunnar Vingren em 1910 viajaram rumo a Belém no estado do Pará com o objetivo de evangelizar nossos conterrâneos.  Nasce as Assembleias de Deus no Brasil em 1911.

Presente em solo brejense desde 1962, a Assembleia de Deus é a porta
Voz da Mensagem Pentecostal em nossa terra, propagando a mensagem: Jesus Salva, Jesus Cura, Jesus Batiza com o Espírito Santo e em Breve retornará para Arrebatar a sua Igreja.

Com alegria, sentimo-nos realizados por estar contribuindo para o crescimento intelectual, cultural, social e espiritual de nossa gente.

Graciosamente, a Curadoria da Exposição "Uma Viagem pelos 500 Anos da Reforma Protestante".

Por: Equipe de Curadores da Exposição
Compartilhe via: