.

Visit Namina Blog

...

ENQUANTO VARGEM GRANDE COMEMORA O “MELHOR CARNAVAL DE SUA HISTÓRIA”, AS GRÁVIDAS DA CIDADE DÃO À LUZ EM CHAPADINHA

Do Portal WF - William Fernandes

A prefeitura de Vargem Grande/MA fez um altíssimo investimento para realizar o maior carnaval da região e um dos maiores do Maranhão em 2018. O efeito midiático foi positivo, pois a cidade ganhou grande visibilidade através das redes sociais, que espalhavam gratuitamente a propaganda da folia, graças às mais de 20 atrações contratadas pela prefeitura.
Mas, enquanto milhares se divertiam no Corredor da Folia, e os empresários contavam os milhares de Reais referentes aos cachês dos artistas, as mulheres grávidas de Vargem Grande se deslocavam para a vizinha cidade de Chapadinha, para dar à luz seus bebês ou para outros procedimentos, perfazendo um total de 95 ocorrências.
É o que revela um levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde de Chapadinha, que mostra que, no período de maio a dezembro de 2017, pelo menos 52 mulheres procuraram a maternidade pública de Chapadinha para dar à luz. “Foram 14 partos normais, 38 cesarianas”, diz o boletim divulgado por meio da Secretaria Municipal de Comunicação de Chapadinha – SECOM.
Além dos 52 partos, houve ainda outros 43 atendimentos a pessoas de Vargem Grande, na maternidade de Chapadinha.
Veja abaixo, o texto que está sendo divulgado pela SECOM de Chapadinha:
A VIDA COMO PRIORIDADE
Passado o Carnaval, vale a pena lembrar que os dados oficias da Secretaria Municipal de Saúde mostram que de maio a dezembro de 2017 a maternidade pública de Chapadinha atendeu 95 casos de Vargem Grande.

Relatório referente aos casos de pessoas de Vargem Grande atendidas na maternidade pública de Chapadinha (Foto: Secom/divulgação)
Foram 14 partos normais, 38 cesarianas, 04 curetagens, 02 internações neonatais, 01 internação clínica e 36 Boletins de Pronto Atendimento na Emergência.
Tudo isso exclusivamente com recursos próprios. Sem receber do governo federal, muito menos de outros municípios, Chapadinha vem mantendo esse serviço para todos que procuram.
Se esses recursos não fossem investidos na maternidade seria possível contratar bandas maiores para as festas, mas por aqui a vida continua sendo prioridade.”
Por SECOM/PMC