.

Visit Namina Blog

...

SEGURO DESEMPREGO: PF PRENDE QUATRO FUNCIONÁRIOS DO PROCON/MA

Do Blog do Gilberto Léda
A Polícia Federal prendeu hoje (22), no bojo da Operação Seguro Fake, quatro funcionários do Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor do Maranhão (Procon-MA).
Foram presos preventivamente os assessores senior Herbert Reis e Rosenir Hungria e temporariamente Ananda Morais Ribeiro e Geordana de Brito Ramos. Todos estão lotados no Viva, órgão vinculado ao Procon-MA.
Outras duas pessoas também foram alcançadas pelos federais, mas não há informações sobre lotação delas no Governo do Maranhão.
Segundo a PF, a operação é uma ação coordenada entre policiais federais e servidores do Ministério do Trabalho, especializados em rastrear as inclusões fraudulentas de benefícios do Seguro Desemprego. Nessa fase, em apenas 10 minutos os policiais flagraram 42 tentativas de fraude ao benefício em uma única agência da Caixa Econômica Federal na cidade de Redenção.
De acordo com os técnicos do Ministério, o trabalho em conjunto com a PF, desde a implantação do sistema antifraude desenvolvido pelo MTb em 2016, teria identificado e bloqueado mais de 57 mil tentativas de fraudes no país, o que equivaleria à desvios de aproximadamente R$ 800 milhões para os cofres públicos.
Os investigados responderão por estelionato qualificado, inserção de dados falsos em sistemas de informações e associação criminosa, com penas que podem ultrapassar vinte anos de reclusão.
Outro lado
O Procon-MA encaminhou ao Blog do Gilberto Léda uma nota curiosa. Apesar da confirmação, pela Polícia Federal, de que quatro dos presos durante a operação são servidores do governo – assessores sênior – o órgão tenta fazer parecer que eles agiam apenas como se fossem despachantes, sem qualquer vínculo com o poder público.
No comunicado não há nenhuma linha sobre possível exoneração dos funcionários (ou apoio, quem sabe).
Veja a nota.
O Governo do Estado informa que o VIVA é um balcão de serviços, por isso disponibiliza, sem qualquer custo, toda sua estrutura para que órgãos da esfera federal, estadual e municipal prestem serviços públicos com qualidade, conforto e segurança ao cidadão, sem, no entanto, ter qualquer ingerência sobre o mérito administrativo dos atos de órgãos parceiros. Por essa razão, a Operação Seguro Fake não diz respeito aos serviços prestados pelo VIVA ou por qualquer órgão estadual, e sim por órgão federal.
Destacamos que, por meio de monitoramento, identificamos algumas suspeitas de irregularidades e, imediatamente, acionamos as autoridades competentes. 
Em colaboração com as investigações, a direção comunica que continua cooperando com todos as solicitações da Polícia Federal para o total esclarecimento dos fatos. 
Por fim, reforça seu compromisso com a manutenção de uma gestão transparente, ética a eficiente.