Homem desaparece após sair para vender motocicleta no Maiobão; há 4 meses ele foi assaltado e amarrado em matagal

O homem identificado como Dino Raumy Sousa Melo, de 34 anos, residente na Avenida Cafeteira, na Vila Bom Viver, no município de Raposa, na região metropolitana de São Luís, está desparecido desde a madruga de sábado (16), depois que saiu para vender uma motocicleta.

O anúncio, segundo uma prima de Dino, foi feito no site OLX e a venda ocorreria no Conjunto Maiobão, em Paço do Lumiar. Familiares tentam contato, mas o celular dele está desligado.

“Nós não sabemos o que aconteceu. Só sabemos que ele queria vender a moto, comprada em leilão, porque não estava emplacada e ele só podia circular pela Raposa. Como ele já trabalhou de mototáxi, ele queria comprar outra moto que pudesse circular por São Luís”, disse uma irmã de Dino.

Ela revelou que Dino Melo foi assaltado na região da Mata, em São José de Ribamar, há quatro meses. Os assaltantes levaram uma moto que ele utilizava para o trabalho de mototáxi e o deixaram amarrado em uma área de matagal, na região da Mata, em São José de Ribamar.

“Ele, juntamente com um amigo, foram levar duas garotas para essa região da Mata. Quando chegaram lá, os assaltantes saíram do matagal, armados com fuzis. Os dois ficaram amarrados dentro do mato e os bandidos levaram as motos. Mais tarde, os dois conseguiram se soltar e sair do matagal. Algum tempo depois, apenas uma das motos, a do amigo dele, foi localizada pela polícia, mas ninguém foi preso. Ele comprou essa moto em leilão apenas para ficar fazendo bicos na Raposa. Ele também trabalha de pedreiro”, acrescentou.

Dino Melo é casado, evangélico e tem três filhas. Segundo o pai, José Martins, o filho fez um culto nas proximidades de sua casa até por volta 1h da madrugada.

“Ao chegar em casa, ele disse à mulher que iria sair depressa, mas voltaria logo. Ele tinha dito anteriormente que moto já estava vendida e que só faltava entregar. No Maiobão, ele iria comprar outra moto. A que ele usava foi comprada em leilão e ele só podia circular na Raposa. Não sabemos se ele chegou ao Maiobão ou se foi assaltado no caminho. Temos medo de ele ter sido deixado amarrado em algum lugar, como aconteceu há quatro meses, quando ele foi assaltado ”, disse o pai.

A prima de Dino Melo, Gil Melo Pinheiro, divulgou uma foto dele e fez um apelo nas redes sociais para ele seja encontrado. “Gente se alguém viu esse rapaz por favor entre em contato. Ele é meu primo e tá desaparecido desde de ontem, quando foi vender uma moto no Maiobão. O mesmo tinha colocado o anúncio no OLX, e desde então não voltou pra casa. Alguma informação, liguem para 98908-2121. A família tá desesperada”, apela Gil Pinheiro.

Contatos podem ser feitos também pelos celulares 98519-1088 e 98544-5718.

do blog do Gilberto Lima.

Atenção! Comentários abusivos e desrespeitosos serão deletados. Nem tente.
EmoticonEmoticon