Brejo de luto | Morre Luiz Alves, um dos fundadores do Centro de Cultura Negra do Maranhão


Luizão, como era conhecido, morreu nesta segunda-feira (16).

Morreu, nesta segunda-feira (16), o professor Luiz Alves Ferreira, conhecido no Maranhão como "Luizão". O professor Luizão nasceu no Quilombo Saco das Almas, no município de Brejo. Ele foi um dos fundadores do Centro de Cultura Negra do Maranhão e membro do Conselho Estadual de Igualdade Racial do Estado.

A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Cultura do Maranhão (SECMA) e a causa da morte não foi revelada. Luizão era, também, médico formado pela UFMA, onde foi professor-mestre. Desenvolveu, ainda, pesquisas na área da saúde da população negra.

Neste último Carnaval, o professor Luizão foi homenageado pelo bloco afro Akomabu com o tema “Luizão: guerreiro quilombola, símbolo da luta contra o racismo”. Luizão deixa um legado um legado na defesa dos direitos da população negra e quilombola.

 O Governo do estado emitiu uma Nota de Pesar 

GOVERNO DO ESTADO
Secretaria de Estado da Igualdade Racial


NOTA DE PESAR


O Governo do Maranhão, através da Secretaria da Igualdade Racial (SEIR), lamenta o falecimento de Luiz Alves Ferreira, conhecido como professor Luizão,  ocorrido nesta segunda-feira, 16 de março.

O professor Luizão nasceu no Quilombo Saco das Almas, no município de Brejo e era médico formado pela UFMA, onde foi professor-mestre e desenvolveu pesquisas na área da  saúde da população negra.

Foi secretário regional da SBPC-MA e membro do Comitê Técnico de Saúde da População Negra do Ministério da Saúde,  conselheiro do Conselho Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Chefe do Departamento de Patologia da UFMA,  Chefe do Serviço de Patologia do Hospital Universitário Presidente Dutra.

Deu importante contribuição como membro do Conselho Estadual de Igualdade Racial do Maranhão e foi um dos fundadores do Centro de Cultura Negra do Maranhão.

O bloco afro AKOMABU homenageou o professor Luizão no Carnaval 2020 com o tema "Luizão: guerreiro quilombola, símbolo da luta contra o racismo".

Deixou um legado na defesa dos direitos da população negra e quilombola.

Atenção! Comentários abusivos e desrespeitosos serão deletados. Nem tente.
EmoticonEmoticon