Capitão da PM suspeito de chefiar a milícia na Zona Oeste do Rio se entrega na delegacia - Blog do William

Blog do William

Blog do William - Notícias de Chapadinha e do Baixo Parnaíba Zap: (98) 99210-7825 Anapurus, Mata Roma, Brejo, São Bernardo, Santa Quitéria, Urbano Santos, Belágua, São Luís, Milagres do Maranhão, São Benedito,

Home Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Your Ad Spot

sexta-feira, 10 de julho de 2020

Capitão da PM suspeito de chefiar a milícia na Zona Oeste do Rio se entrega na delegacia

O capitão Leonardo da Silva era o principal alvo de operação realizada na quinta-feira, em Vargem Grande e Vargem Pequena. Polícia investiga se ele comandou chacina em junho.

O capitão da PM Leonardo Magalhães Gomes da Silva, suspeito de chefiar uma milícia que também atuava na venda de drogas em Vargem Grande e Vargem Pequena, na Zona Oeste, se entregou à polícia na noite de quinta-feira (9).
O oficial se entregou por volta das 22h, e já foi encaminhado para o Batalhão Especial Prisional da PM, em Niterói, na Região Metropolitana.
O policial militar Leonardo Magalhães Gomes da Silva, o Capitão Leo, é o principal alvo da operação realizada contra uma narcomilícia na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução
Ele era um dos principais alvos da operação Porto Firme, realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado (GAECO/MPRJ), com o apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência e em parceria com a Delegacia de Homicídios da Capital e a Corregedoria da Polícia Militar.
O Capitão Léo, como oficial é conhecido, é apontado pelo Ministério Público como o chefe desse grupo criminoso. Ele estaria disputando o controle de uma região conhecida como Pombo sem Asa.
A organização criminosa por ele comandada é, segundo o Gaeco, responsável por crimes como tráfico de drogas e de armas de fogo, além extorsões, homicídios, agiotagem e corrupção ativa na região das Vargens, na Zona Oeste.
operação Ponto Firme também prendeu Fernando Mendes Alves, cabo da PM que atua no Programa Centro Presente. Ele é apontado como o número 2 da organização criminosa. O cabo foi preso em casa, em Vargem Pequena.
No dia 7 de junho, uma chacina deixou quatro mortos e dois feridos na comunidade. A polícia também investiga se o Capitão Léo teria envolvimento com esses crimes.

do g1.globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção! Comentários abusivos e desrespeitosos serão deletados. Nem tente.

Post Top Ad

Your Ad Spot