10 mulheres mortas em menos de uma semana na capital e no interior

Nesta segunda-feira, quatro casos registrados, dois deles em Rosário; crimes ocorreram, também, em Bom Jardim, Morros, Sucupira, Cantanhede e São Luís

10 mulheres mortas em menos de uma semana na capital e no interiorKetlen e Vanessa Cristina, assassinadas na cidade de Rosário (Divulgação)

Imirante.com

SÃO LUÍS - Dez mulheres foram assassinadas com requintes de crueldade em menos de uma semana na capital e no interior do estado. Somente na última segunda-feira ocorreram quatro mortes, duas delas em Rosário, que, segundo a polícia, foram ordenadas por internos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, identificados apenas como Juju e Nenê.

De acordo com o Atlas da Violência, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Rosário foi considerada como sendo a cidade mais violenta do Maranhão. Os dados revelaram que em 2017, o município registrou uma taxa de 70,9 assassinatos para um agrupamento de 100 mil pessoas, enquanto que São Luís apresentou uma taxa de 46,9.

Ainda na manhã de ontem, moradores de Rosário encontraram morta mais uma mulher, identificada como Ketlen, de 18 anos, em uma área de construção, no povoado Cavalo Morto, zona rural da cidade. A polícia informou que o corpo da vítima apresentava marcas de pauladas e perfurações de faca na cabeça, nos braços e abdômen.

Violência

Na noite de segunda-feira, 19, foi encontrado o corpo de Vanessa Cristina Santos Mourão, de 17 anos, também em um terreno de construção, localizado nessa localidade. O corpo dela estava semidespido e apresentava sinais de violência, principalmente, na cabeça. Há possibilidade da vítima também ter sido violentada sexualmente.

Os corpos das vítimas foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML), em São Luís, para serem autopsiados e o resultado vai ser encaminhado ainda esta semana para a Delegacia Regional de Rosário. Existem informações de que as vítimas tinham ligação com o tráfico de entorpecentes e mantinham relação amorosa com internos de Pedrinhas, Juju e Nenê.

A polícia informou que as vítimas estavam comercializando drogas no interior do estado, mas não repassavam o dinheiro para os presidiários. Elas foram vistas em Rosário com vida no último domingo e teriam sido levadas por um faccionado, nome não revelado, para a localidade Cavalo Morto.

Prisão

Também ontem foi preso Daniel Santos Sousa, o Daniel Filho do Pastor, de 22 anos, acusado de ter assassinado a funcionária de Bom Jardim, Thays Andrade da Silva, de 26 anos. O delegado Élson Ramos, da regional de Santa Inês, informou que a vítima foi encontrada morta com sinais de estrangulamento em sua residência, no bairro Cohab, em Bom Jardim, na última segunda-feira.
O corpo foi removido para o IML, em São Luís, para ser autopsiado. Na casa da vítima, a polícia não encontrou sinais de arrombamento e nada havia sido levado. A jovem prestava serviços para prefeitura de Bom Jardim, na Escola Municipal Ney Braga, desempenhando a função de secretária escolar.

O superintendente da Polícia Civil do Interior, Armando Pacheco, declarou ontem em entrevista a Radio Mirante AM que o suspeito é filho do padastro da vítima e foi preso em Bom Jardim. O criminoso confessou o crime e também é acusado de vários roubos no interior do estado.

Ato bárbaro

Na tarde de segunda-feira, 19, ocorreu um assassinato com requintes de crueldades, na área de Pedrinhas. A vítima foi Maria Alzimar Ribeiro da Silva, de 42 anos. A polícia informou que o corpo dela foi achado semidespido e havia marcas de estrangulamento.

A delegada Viviane Fontenelle, chefe do Departamento de Feminicídio, órgão ligado a Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP), esteve no local do crime que pode ser mais um feminicídio. A vítima tinha dois filhos menores e residia na invasão do Mangue Seco, na mesma região. Eça foi vista a última vez com vida na tarde de domingo, 18.

A Polícia também está investigando o assassinato de uma mulher, identificada como Carla Perez, de aproximadamente 40 anos. O crime ocorreu na madrugada do dia 16, na Vila Progresso, área do Recanto dos Vinhais. Ela foi morta a tiros e dentro de sua residência.

Latrocínio

Vânia da Silva Pereira, de 32 anos, esposa de um policial militar, morreu após ser baleada durante um assalto ocorrido na madrugada desta sexta-feira, 16, no povoado Mocampo, no Km 81 da BR-402, entre as cidades de Morros e Humberto de Campos. De acordo com a polícia, um dos acusados desse crime, Josival Lopes, o Jojó, de 22 anos, foi preso e uma arma de fabricação caseira apreendida.

Ainda segundo a polícia, a vítima e o marido, estavam em um veículo Fiat Toro com destino a Humberto de Campos, onde participariam de uma festa de aniversário de um parente, quando, no povoado Mocampo, foram surpreendidos com pedaços de madeira no meio da rodovia. Ao parar o veículo, foram abordados pelos criminosos que teriam saído de uma área de matagal.

Houve troca de tiros e uma das balas atingiu o rosto de Vânia Pereira, que ainda foi levada para a Unidade de Pronto de Atendimento (UPA) de Morros, mas devido à gravidade dos ferimentos foi transferida para na capital, onde chegou sem vida.

Feminicídio

Dois casos de feminicídio ocorreram neste fim de semana no interior do estado. No sábado, 17, a polícia apreendeu um adolescente e prendeu um homem, nome não revelado, suspeitos de terem assassinado a adolescente Ananda de Sousa, de 16 anos, no povoado Curral do Anfilóquio, zona rural de Sucupira do Norte. A polícia informou que havia marcas de pauladas na cabeça da vítima. O crime ocorreu ainda na sexta-feira, 16.

O corpo da adolescente foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Timon para ser periciado e o resultado vai ser encaminhado para a delegacia de São João dos Patos, onde está sendo investigado. De acordo com a polícia, a vítima residia no povoado Feira da Várzea, em Sucupira do Norte, e foi vista com vida na noite de quinta-feira, 15, em uma seresta no centro dessa cidade.
Ainda no último sábado, foi preso em flagrante o açougueiro Francisco Linhares, de 32 anos, na zona rural do município de Cantanhede, acusado de ter assassinado a ex-companheira Taynara Cristina, de 23 anos, no município de Itapecuru-Mirim. O crime ocorreu durante a madrugada e, logo após, o acusado fugiu para Cantanhede.

A polícia informou que o acusado era muito ciumento e teria agredido fisicamente a ex-mulher, principalmente, quando ingeria bebida alcoólica. Nas últimas semanas, ele chegou a ligar várias vezes para a vítima com o objetivo de reatar o relacionamento.
Também no dia 14 deste mês ocorreu um outro caso de feminicídio, no povoado Lagoa Verde, em Imperatriz, e tendo como vítima Tatiana Santana Gomes, de 36 anos. A polícia informou que ela foi assassinada pelo ex-companheiro, identificado como Antônio. Nesta ação criminosa, Clebson Alves Leão também foi baleado e levado para o Hospital Municipal de Imperatriz.

Miss morta

A Polícia Civil confirmou a participação de três adolescentes no assassinato da candidata a Miss da cidade de São João do Caru, Andrezza Araújo Romão, de 17 anos, e solicitou o auto de busca e apreensão desses menores ao Poder Judiciário. O corpo da vítima foi encontrado no último dia 14 em uma área de matagal na zona rural da cidade, com marcas de violência, inclusive no rosto.
O delegado Elson Ramos, da regional de Santa Inês, declarou que na noite de quarta-feira, 14, foi apreendido um adolescente de 15 anos, e foi conduzido para a delegacia de Bom Jardim, para ser investigado.

O adolescente confessou a autoria do crime para a polícia. Ele informou que teria cometido o assassinato em companhia da sua namorada, de 17 anos, com apoio de outra adolescente. Eles teriam planejado esse ato bárbaro devido a vítima ter “falado mal” de uma das menores. Uma das adolescentes teria se encontrado com a vítima em uma área de matagal e lá já estavam os outros. Eles agrediram fisicamente Andrezza Araújo com socos no rosto e em seguida a golpearam no pescoço com um canivete. A vítima morreu no local, os suspeitos fugiram.

Número 10

foi o número de mulheres assassinadas em menos de uma semana na capital e no interior do estado, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública.

Atenção! Comentários abusivos e desrespeitosos serão deletados. Nem tente.
EmoticonEmoticon