Bolsonaro imita Dino, o “pior governador”, e também publica decreto proibindo queimadas - Blog do William

Blog do William

Blog do William - Notícias de Chapadinha e do Baixo Parnaíba Zap: (98) 99210-7825 Anapurus, Mata Roma, Brejo, São Bernardo, Santa Quitéria, Urbano Santos, Belágua, São Luís, Milagres do Maranhão, São Benedito,

Home Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Your Ad Spot

sábado, 31 de agosto de 2019

Bolsonaro imita Dino, o “pior governador”, e também publica decreto proibindo queimadas


A medida é uma tentativa de sinalização internacional aos incêndios que atingem a região amazônica e se transformaram em uma crise de imagem do governo brasileiro, inclusive com ameaça da França de não confirmar o acordo firmado com a União Europeia em julho
 

Por George Marques
Revista Fórum

Dois dias após o governador maranhense Flávio Dino (PCdoB) publicar decreto proibindo o uso de fogo para a limpeza de áreas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) copiou a ideia e também publicou nesta quinta-feira (29) decreto que proíbe queimadas em todo o país durante o período de 60 dias.

A medida é uma tentativa de sinalização internacional aos incêndios que atingem a região amazônica e se transformaram em uma crise de imagem do governo brasileiro, inclusive com ameaça da França de não confirmar o acordo firmado com a União Europeia em julho.

De acordo com o decreto, a suspensão do uso do fogo não será aplicada “para o controle fitossanitário quando autorizado pelo órgão ambiental competente, para práticas de prevenção e combate a incêndios e para práticas de agricultura de subsistência executadas pelas populações tradicionais e indígenas”.

Ao imitar a ação “do pior governador“, Bolsonaro sinaliza que não por hora não pretende rasgar dinheiro e seguiu o conselho de Dino dado na reunião dos governadores da Amazônia Legal, ocorrida na última terça em Brasília.

A crise gerada pelas queimadas na Amazônia esteve no centro das atenções do governo ao longo das últimas semanas.

O porta-voz da Presidência, Rêgo Barros, disse nessa quarta que o governo está aberto a receber ajuda financeira de organismos internacionais. Questionado, não condicionou o pedido à desculpas de Macron, exigência informada inicialmente por Bolsonaro em meio ao bate-boca entre os dois.

A partir da definição da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), de 1966, a Amazônia Legal é formada por nove estados brasileiros: os sete da Região Norte (Acre, Amapá, Amazonas, Pará Rondônia, Roraima, Tocantins), além de Mato Grosso e Maranhão.

Leia a íntegra do decreto de Flávio Dino
 


Postado por GILBERTO LIMA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção! Comentários abusivos e desrespeitosos serão deletados. Nem tente.

Post Top Ad

Your Ad Spot