Presa mãe que ordenou sequestro e morte de homem que estuprou sua filha em São Luís




Uma mulher identificada como Elisângela Furtado da Silva foi presa nessa terça-feira (24), em cumprimento a mandado de prisão preventiva, por ter mandado sequestrar e matar Magno Roberto Teixeira, que estuprou a filha da acusada, uma menor de 17 anos. O estupro ocorreu no dia 25 de outubro de 2013.

Pelo crime, Magno Teixeira foi condenado, em 22 de julho de 2014, a nove anos de reclusão, em regime fechado, e havia cumprido cinco anos da pena.

Pelas informações da polícia, no último dia 10, a pedido de Elisângela, o estuprador foi sequestrado junto com a companheira dele, identificada como Sabina, na porta de casa por integrantes de uma organização criminosa.

Após o sequestro, ele foi levado para um matagal no Alto Bonito, no bairro Maracanã, em São Luís. Após três dias, Magno foi ‘julgado’ pelo “tribunal do crime”, onde recebeu a condenação de ser executado. Logo em seguida, a esposa dele foi solta. O corpo foi encontrado na tarde de sexta-feira (13) no Santo Antônio, área do Maracanã.

Diversos envolvidos no crime foram reconhecidos e deverão ser presos em breve. O delegado Renato, titular do 12º Distrito Policial, do Maracanã, já representou pela prisão preventiva dos mesmos.

Elisângela Silva vai responder pelos crimes de homicídio qualificado (art. 121 § 2º inciso II e IV do Código Penal) e organização criminosa (art. 2º §4º inciso I da LEI nº 12.850/123).

O estupro da menor

O estupro da menor, de 17 anos, ocorreu no dia 25 de outubro de 2013. Segundo os autos de prisão em flagrante, “por volta das 17:45 horas, a menor estava em sua residência quando seu vizinho conhecido por "homem pássaro" entrou correndo e lhe agarrou pelo braço dizendo: "vamos embora que os homens já estão na porta"; que disse a ele que não iria, foi quando ele sacou de uma faca e lhe ameaçou, que diante da ameaça de morte concordou em ir com ele, que ele a levou até a casa dele, que quando ele entrou na casa dele saiu arrastando sua pessoa e disse que o beijasse, que não quis fazê-lo mas ele lhe ameaçou com a faca, foi ai que teve que beijá-lo, que ele também tirou sua roupa, a parte de baixo e sua pessoa teve que retirar a parte de cima, que então ele passou a lhe sugar os seis e seu órgão genital, que depois ele passou a lhe penetrar vagina, que depois disso ele disse que queria fazer sexo anal”.

Pelo crime, Magno Teixeira, foi condenado a 9 anos de reclusão, em regime fechado, no dia 25 de julho de 2014.


do Portalnc1.com

Atenção! Comentários abusivos e desrespeitosos serão deletados. Nem tente.
EmoticonEmoticon