Procon/MA autua lotérica por suspeita de cobrança de taxa para o saque do auxílio emergencial em Chapadinha - Blog do William

Blog do William

Blog do William - Notícias de Chapadinha e do Baixo Parnaíba Zap: (98) 99210-7825 Anapurus, Mata Roma, Brejo, São Bernardo, Santa Quitéria, Urbano Santos, Belágua, São Luís, Milagres do Maranhão, São Benedito,

Home Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Your Ad Spot

quinta-feira, 23 de abril de 2020

Procon/MA autua lotérica por suspeita de cobrança de taxa para o saque do auxílio emergencial em Chapadinha

O Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) autuou, na última quarta-feira (22), uma lotérica no centro da cidade de Chapadinha por suspeita de venda casada e descontos do auxílio emergencial do Governo Federal. De acordo com denúncias, a lotérica estaria descontando valores de jogos para efetuar o saque do benefício.

A primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 começou a ser paga pelo Governo Federal e na última sexta-feira (17).  Em Chapadinha, pelo menos duas pessoas já registraram Boletim de Ocorrência relatando descontos ao realizar o saque em uma lotérica da cidade.  

“Em ação conjunta com a Polícia Civil, notificamos o estabelecimento por suspeita de prática de venda casada e descontos no saque emergencial. O Procon está sempre firme para assegurar a harmonia nas relações de consumo da sociedade”, afirmou o coordenador da unidade em Chapadinha, Danilo Monteiro.

A proprietária da lotérica também esteve na Delegacia da cidade, onde prestou esclarecimentos sobre os casos registrados. Após notificada, a proprietária tem o prazo de 05 (cinco) dias para apresentar defesa.

Alerta

A presidente do Procon/MA alerta a população para esse tipo de prática. “Recomendamos que todos os beneficiários tenham atenção na hora de sacar o auxílio emergencial. Lotéricas e correspondentes bancários não podem cobrar taxas ou induzir o beneficiário a comprar algum tipo de jogo. Se isso acontecer, deve denunciar imediatamente”, reforça Adaltina Queiroga.

O desconto no auxílio emergencial ou a obrigação de comprar produtos para realização do saque configuram algumas das práticas vedadas pelo Código de Defesa do Consumidor, como o aproveitamento de qualquer fragilidade do consumidor, a obtenção de vantagem manifestamente excessiva e a venda casada (CDC, art. 39, incisos I, IV e V). 

As denúncias dessas e outras práticas flagradas por consumidores devem ser formalizadas através do app “PROCON MA”, disponível nas plataformas Android e IOS, ou pelo site: procon.ma.gov.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção! Comentários abusivos e desrespeitosos serão deletados. Nem tente.

Post Top Ad

Your Ad Spot